sábado, 3 de abril de 2010

O filho mais velho

Não poucas vezes ouvimos a parábola do filho pródigo, mas sempre deixamos de lado um personagem que muito me chama a atenção: o filho mais velho.

Quando o filho mais novo retorna ao lar, depois de ter perdido tudo, passar por maus bocados, arrependido, o pai manda trazer roupas novas, um anel, sandálias, manda fazer um churrasco e convidar os amigos e começam a festejar.

O filho mais velho não pode agüentar. Por todos esses anos ele esteve ali, ao lado de seu pai. Muitas vezes abriu mão de seus próprios desejos para fazer a vontade de seu pai. E nunca, nem uma vez, recebeu uma festa por isso. Nem um carneiro magro foi assado em sua homenagem. Toda a revolta do filho mais velho pode ser sentida em sua reclamação:

“Eis que te sirvo há tantos anos sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com meus amigos. Vindo, porem, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado” Lucas 15.29-30

Não nos sentimos muitas vezes assim?
Estamos na casa do Senhor, na obra do Senhor e ao invés de nos alegrarmos com aqueles que retornam, nos ressentimos e reclamamos, choramos e esperneamos.

Isso me faz lembrar do Salmo 73 de Asafe. Asafe era levita, e estava na casa do Senhor. Porem teve inveja dos ímpios, ao ponto de quase se desviar. Asafe se perguntava: “De que adianta purificar meu coração e ter mãos inocentes, se os ímpios tem mais do que o coração pode desejar e não são afligidos como os outros?”

Quantas vezes nos cansamos, e nos perguntamos como Asafe “De que adianta?” e enquanto pensava em compartilhar esses pensamentos, quando queria entender essas coisas, buscou a ajuda de Deus. Assim como o filho mais velho, Asafe buscou respostas as suas perguntas em seu Pai. Dirigiu suas reclamações a Deus. Entrou no santuário de Deus e colocou diante dEle todas as suas questões. Aquele que serve ao Senhor sabe que só Ele tem as respostas. Só Ele entende a nossa indignação.

Asafe foi até o santuário de Deus e entendeu que há caminhos que ao homem parecem bons, mas o fim conduz a perdição. Não posso deixar de citar as próprias palavras de Asafe:

“Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles. Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição. Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores. Como um sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás a aparência deles.” Salmo 73.17-20

Asafe também se lembrou de sua condição:

“Todavia estou de contínuo contigo; tu me sustentaste pela minha mão direita.”

Asafe descobriu o que todos nós devemos saber: como é maravilhoso estar junto ao Pai! Não são necessárias roupas novas, anéis ou festas. Como o filho mais velho, Asafe tinha o maior dos presentes: estava todos os dias na presença do Pai.

Voltando ao filho mais velho, vejamos a resposta do pai à sua indignação:

“E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas;” Lucas 15.31

Não é maravilhoso?
Asafe entendeu, o filho mais velho entendeu, eu entendi.
Espero que você entenda que

“[...] bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor DEUS, para anunciar todas as tuas obras.” Salmos 73.28
PAZ!

3 comentários:

Zé Luís disse...

Olá Angela.tb:

Algumas coisas em comum:
Postei algo sobre o irmão que ficou tb: http://cristaoconfuso.blogspot.com/2010/01/o-irmao-do-prodigo-tao-desviado-quanto.html

Ficou pobre(comparado com o seu) mas é "limpinho":)

Também dei aulas para adolescentes. Acho que foi nessa época que meus cabelos começaram a ficar brancos.

Seguindo: Parabéns pelas postagens. Fica na paz!

Angela disse...

Gosto muito do Salmo 73...sei lá, acho q as vezes me sinto como eles...então sempre é bom lembrar o que realmente importa!

ministerio de dança apocalipse disse...

meu blog: ohvidadura.spaceblog.com.br

xxxx