sexta-feira, 8 de outubro de 2010

O dízimo e eu


Não gosto de assuntos polêmicos. 
Talvez por isso tenha relutado tanto em escrever sobre esse tema. 
Já li por aí muitos que se dizem não dizimistas e que listam milhões de razões para não sê-lo. Então, resolvi dizer aqui por que não concordo e por que sou uma dizimista.

Em primeiro lugar, não dou meu dizimo para barganhar com Deus. 
Não faço trocas com Deus pelo simples fato de não ter o que oferecer. 
O que eu teria para oferecer? Meu dinheiro? Prefiro dizer como o salmista: “Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito?” Sl 116.12

Não dou meu dizimo para receber bênçãos dos céus. 
Dou-o como gratidão por já tê-las recebido. 
E não é nenhum tipo de doação profética não. Já recebi mesmo. Se não fosse assim, o dizimo deveria ser dado antes de recebermos o pagamento, não é?

Gosto muito texto de Malaquias 3, muito conhecido e utilizado, onde diz que o dizimo deve servir de mantimento para a casa de Deus. Dou meu dizimo, para que haja energia na igreja (ou alguém acha que a light liga “em nome de Jesus”?); bancos para que eu possa me sentar e adorar a Deus (ou alguém acha que eles estão ali porque aceitaram a Jesus?); para que seja possível pagar um salário a zeladora e sim, para que o Pastor também receba o seu salário, entre outras despesas mais.

Alguns argumentam que as bênçãos vêm sobre os dizimistas e não dizimistas; que os ímpios também prosperam; SIM. A Bíblia diz que Deus derrama a chuva sobre os justos e injustos, bons e maus. Sabe qual é a diferença? O justo reconhece a Deus em suas obras e o agradece. Uma das formas que tenho para fazer isso é dando meu dizimo. Reconheço que tudo vem de Deus e devolvo a Ele parte do que tem me dado. Dt. 26.1-11

Quando dou meu dizimo, não oro a Deus pedindo prosperidade. Oro, agradecendo a Ele pela prosperidade. Oro agradecendo por poder contribuir.
Qualquer referencia na Bíblia sobre o dizimo, o coloca como oferta de gratidão. 

Não quero com este artigo gerar polemicas. Só gostaria de deixar claro meu ponto de vista sobre o assunto. Parafraseando Paulo: “Se alguém quiser fazer polemica a esse respeito, não temos esse costume, nem as igrejas de Deus” ;)

PAZ.

6 comentários:

Porducel disse...

Eu vejo de forma diferente mas acho honesta sua postura parabéns que Deus te abençõe conforme esta revelação que você tem, mas queria ver voce escrever sobre seu comprometimento financeiro em ajudar os necessitados.
Ou nossa ajuda como cristãos deve ficar somente no âmbito da estrutura eclesiástica e do clero ?

a Paz !

Angela disse...

Bem, eu tento ajudar da maneira que posso e sempre que posso: dôo roupas, alimentos, e principalmente participo dos evangelismos da minha igreja, pois isso é o que de maior valor podemos dar a alguém. o proprio Jesus disse: os pobres sempre terão convosco...acho q uma coisa nao invalida a outra.

Porducel disse...

Mas eu me refiro aos irmãos pobres não aos incrédulos, por que em Atos do apóstolos a igreja primitiva distribuía os dízimos e ofertas com todos da Igreja e hoje em dia nós não fazemos o mesmo ? Jesus nos disse que sempre teríamos pobres entre nós isso mas ele também não disse que deveríamos vender o que temos e distribuir com os pobres ?

Angela disse...

intenso esse tema não? (rs) sinceramente e pessoalmente acho que esse sistema de dividir com os carentes não funcionaria hj qdo temos igrejas tão grandes. Lá na minha igreja (q nem é tão grande assim) por exemplo, tem uma assistencia social que se encarrega de distribuir alimentos a familias necessitadas sejam elas da igreja ou não. Além disso, sempre que sabemos de um irmão que está passando necessidades a igreja procura ajudar e acompanhar a situação até que se resolva. Alguns irmãos mais próximos as vezes até resolvem o problema sem que o mesmo precise chegar ao ministério (já aconteceu comigo por exemplo)
Quanto a vender tudo e doar, Jesus disse isso apenas uma vez e acredito eu que era apenas para demonstrar que aquele jovem não estava disposto a segui-lo.
Mexer com $$ é sempre complicado. Creio q devemos estar dispostos a dar qdo necessario mas não só para suprir necessidades físicas/materiais. Manter missionários na minha opnião é fazer um bom uso desse dinheiro.

Legal vc abrir a discussão de forma sincera! Qdo escrevi fiquei com medo dos comentários...rsrs

Abraço,

Roberta Lima disse...

Angela,

Adoro teus comentários no blog, estou aqui preparando uma BIO de apresentação para um blog que serei parceira e lembrando da sua referência de menina "pimenta" do reino...rs
Corajosa sua abordagem sobre o tema DÍZIMO, parabéns!!!
Bjim

Angela disse...

rsrsrs o apelido pegou mesmo né?

obrigada, suas visitas e comentarios são sempre bem vindos!

bj

xxxx