quinta-feira, 24 de junho de 2010

Questões sobre o mercado de trabalho

Tempo...idéias....ultimamente tem faltado um pouco de cada...
parece não, mas é difícil manter um blog atualizado...organizar minha vida então...xiiii nem se fala.

Só pra dizer que ainda passo por aqui, vou postar um texto interessante que recebi dia desses


O comentarista Max Gehringer, da rádio CBN (programa Mundo Corporativo), falou a respeito do mercado de trabalho e o mundo competitivo em que vivemos. Segundo ele, "existem muitos gurus que sabem dar respostas criativas a grandes questões sobre o mercado de trabalho". Vejam um resumo da entrevista com o famoso consultor Reynold Remhn.

Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo?
Resposta: Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprendermos. É por isso que sofremos. Trabalhar em excesso é como perseguir o vento. A felicidade só existe para quem souber aproveitar agora os frutos do seu trabalho.  
 O profissional do futuro será um individualista?
Resposta: Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho, porque se cair, não terá ninguém para ajudá-la a levantar-se.
Que conselho o Sr. dá aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho?
Resposta: É melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos. Elogios vazios são como gravetos atirados em uma fogueira.  
E para os funcionários que têm chefes centralizadores e perversos?
Reposta: Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.
O que é exatamente sucesso?
Resposta: É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando, ao mesmo tempo, sua riqueza e sua desgraça.  
Belas e sábias respostas.  
Eu só queria me desculpar pelo fato de que não existe nenhum Reynold Remhn. Eu o inventei. Todas as respostas, embora extremamente atuais foram retiradas de um livro escrito a 2.300 anos: o ECLESIASTES, do Velho Testamento. Mas, se eu digo isso logo no começo, muita gente, talvez, nem tivesse interesse em continuar ouvindo. (Max Gehringer para a CBN.)  
Agora, leia os textos do livro de Eclesiastes, relacionados a cada item acima:  
“Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento”. Eclesiastes 1.14
 “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. Também, se dois dormires: juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade”. Eclesiastes 4.9-12
“Melhor é o jovem pobre e sábio do que o rei velho e insensato, que já não se deixa admoestar”. Eclesiastes 4.13
“Não há nenhum homem que tenha domínio sobre o vento para o reter; nem tampouco tem ele poder sobre o dia da morte; nem há tréguas nesta peleja; nem tampouco a perversidade livrará aquele que a ela se entrega. Tudo isto vi quando me apliquei a toda obra que se faz debaixo do sol há tempo em que um homem; tem domínio sobre outro homem, para arruiná-lo. Assim também vi os perversos receberem sepultura e entrarem no repouso, ao passo que os que frequentavam o lugar santo foram esquecidos na cidade onde fizeram o bem; também isto é vaidade. Visto como se não executa logo a sentença sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto a praticar o mal. Ainda que o pecador faça o mal cem vezes, e os dias se lhe prolonguem, eu sei com certeza que bem sucede aos que temem a Deus. Mas o perverso não irá bem, nem prolongará os seus dias; será como a sombra visto que não teme diante de Deus”. Eclesiastes 8.8-13
“Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco, quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir”. Eclesiastes 5.12
E tem gente que ainda diz que a Bíblia é ultrapassada..

Um comentário:

Zé Luís disse...

É mocinha...
Chesterton dizia que quando se quer descobrir coisas novas devemos ir aos cemitérios e desenterra-las.

Nada novo debaixo do sol.

Mocinha cheia de surpresas e mistérios.

Abs

xxxx